All for Joomla All for Webmasters
Matcon Supply
Matcon Supply
+55 11 .4513-4708 | 11.2375-9384 Seg - Sex 09:00 - 18:00 faleconosco@matconsupply.com.br
Qualificação
Produtos de Marca
Mais de 15 anos
de Brasil
Ranking 1
Matcon na Pauta
Fale Conosco

Qual tipo de argamassa colante usar?

1 A maioria não presta atenção ou não sabe qual tipo de argamassa colante usar e acaba escolhendo o tipo inapropriado provocando danos nos revestimentos e pisos como descolamento das placas ou trincamento das mesmas. Seja qual for o tipo de construção, a argamassa é um item indispensável! A argamassa deriva- se da mistura entre água, cimento e areia. No entanto, cada trabalho tem um tipo de argamassa apropriado ou ideal. Uma das vantagens é que a argamassa colante é mais flexível, permite melhor controle da umidade (não precisa molhar as placas de revestimentos antes do assentamento) facilitando o manuseio e a execução do serviço. Como o nome sugere as argamassas colam ou aderem o revestimento. Em sua composição há cimento, areia e adição de uma certa quantidade de aditivos que promovem a aderência e a retenção de água. Elas recebem as seguintes siglas:
  • AC-I: Indicada para assentamento de pisos com placas cerâmicas em ambientes considerados áreas molhadas como banheiros, cozinhas e áreas de serviços.Não é indicada para assentamentos de cerâmicas em estufas, por exemplo.
  • AC-II: Utilizada em ambientes internos e externos por absorver e resistir as intempéries como variações de temperatura e umidades, chuvas, ventos e cargas. Por exemplo: fachadas, pisos em áreas descobertas, pisos em áreas públicas e ambientes industriais. Em casos de porcelanatos com placas de medidas até 60x60 cm ela também é recomendada.
  • AC-III: usada em assentamento de porcelanatos e cerâmicas mesmo que seja grandes placas. Sua aderência é maior que as anteriores.Por dar uma maior aderência entre a argamassa e a placa pode ser usada um saunas e piscinas.
As argamassas colantes também são usadas em assentamentos de blocos de vidros, pastilhas. Geralmente os fabricantes oferecem a opção da compra da argamassa em pó para que a adição de água e preparo seja realizada no local da construção ou em pasta pronta para o uso. A argamassa colante pronta ou industrializada tem a vantagem de ser mais prática, sujar menos, e as propriedades mecânicas são constantes já que controle da quantidade de água adicionada é controlada na fabricação. Em casos de reformas em que a opção seja assentar piso sobre piso para evitar muito entulho (apartamentos principalmente) recomenda- se o assentamento do piso sobre piso. As argamassas colantes também podem e devem ser usadas nesses casos. A diferença entre as argamassas é a quantidade de aditivos que define o quão aderente cada denominação ou tipo é. Existe uma norma técnica que fala sobre argamassas colantes. É a NBR 14081/ 2012- Argamassa colante industrializada para assentamento de placas cerâmicas. Sempre bom realizar uma consulta antes de iniciar os serviços. Ainda, mesmo utilizando os materiais corretos e execução dos serviços precisa ser executada por um profissional qualificado.Em relação ao consumo é sempre bom fazer o cálculo dos materiais necessários bem como a sua quantidade para evitar a falta ou comprar em excesso. Estima- se uma média de 3 (três) a 4 (quatro) quilos de argamassa por m² (metro quadrado). Para saber a proporção correta procure a ajuda de um engenheiro ou arquiteto.

Mantenha-se Atualizado

About the author

Leave a Reply

Relatório Fotográfico – O Concrety tem uma boa solução para gestão de sua obra.
21 de fevereiro de 2018
Aditivo cristalizante de fissuras em concreto
1 de junho de 2017
Concreto com ar incorporado – O que é ? Como usar?
1 de junho de 2017
Importância da utilização do EPI e quais são eles?
1 de junho de 2017
Pavimentação Permeável – O que é? Como utilizar?
1 de junho de 2017
Rastreamento de ferramentas no canteiro de obras
1 de junho de 2017
Tipos de Nível. E onde usa-los.
1 de junho de 2017
Webinar – Mudanças do novo PBPQ-h
11 de abril de 2017
PATOLOGIAS NA CONSTRUÇÃO CIVIL: TRINCAS EM ALVENARIA
20 de março de 2017
PATOLOGIA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: O QUE É E COMO TRATAR
18 de março de 2017